quinta-feira, 28 de abril de 2011

Minha gatinha estréia como blogueira


Ha bastante tempo que não entro neste espaço, por muitos motivos, mas me animei por que minha filhotinha está estreando como blogueira, e com muitas coisas para falar! Filha de peixe... Eu
acho mesmo é que ela vai ser um tremendo tubarão, se comparada comigo.

sábado, 10 de abril de 2010

Para nossos jadins

















Sofisticadas, delicadas, ornamentais. Quem não gosta de um cantinho para cultivar uma plantinha? Que o digam os solteiros e suas samambaias de estimação. Separei algumas lindas imagens com boas idéias para decorar e organizar estes espaços.

Quando a cor faz toda a diferença
















Para minha guerreira


Ontem foi aniversário da minha mãe. Não poderia deixar passar esta data em branco. O nome da minha mãe é Maria de Fatima, e como toda Maria, ela é uma lutadora incansável nesta vida, ás vezes doce, as vezes difícil, de tal forma que é complicado para mim distinguir quais destes momentos foram mais recorrentes na vida dela. Vamos lá. Um casamento desfeito depois de catorze anos e muitas mágoas de ambos os lados, quatro filhos do primeiro casamento, muita luta e trabalho para criá-los sozinha, pouco dinheiro, muito apoio dos meus avós, e o maior golpe de todos... Perder um filho, o mais amado (sem ciúmes), com um tiro na cabeça aos 16 anos de idade. Essa foi demais. Ela emagreceu, chorou, se desesperou e engravidou de seu companheiro dois meses depois... Nasceu Vitória. Mas mesmo ela não foi capaz de curar o seu coração. Durante cinco anos ela sofreu visivelmente a sua perda, até que um dia, começou a viver novamente. Conversado com ela descobri que só o tempo cura estas feridas tão profundas. Ela me confessou que não se passa um dia em que não se lembre dele, mas que a dor fina e profunda se transformou em saudade e que se sente contente em saber que um dia vai reencontrá-lo. Ela ama os filhos, os netos e a família com paixão, ama sua religião com devoção. Só há uma música capaz de descrevê-la, mas não é capaz de descrever o amor que sinto por ela. A musica é Maria Maria, de Milton Nascimento:

Maria, Maria, é um dom, uma certa magia
Uma força que nos alerta
Uma mulher que merece viver e amar
Como outra qualquer do planeta
Maria, Maria, é o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que ri quando deve chorar
E não vive, apenas aguenta

Mas é preciso ter força, é preciso ter raça
É preciso ter grana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria, mistura a dor e a alegria
Mas é preciso ter manha, é preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania de ter fé na vida

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Coelhinhos e mais coelhinhos











Encontrei vária idéias fofas na net para páscoa, atrasada, mas lá vai.

segunda-feira, 29 de março de 2010